Fechar

Saiba como a Anjo Tintas aumentou seu NPS e conseguiu melhores resultados em dois anos

Por Diandra Guedes em 17 de junho 2021
Cases de Sucesso

Tempo de leitura: 7 minutos
Ouça esta entrevista no nosso podcast!

A Anjo Tintas usou o NPS e melhorou seus resultados. Descubra como neste post!

Você certamente já ouviu falar em Net Promoter Score e a relação dele para melhorar os resultados de uma empresa, não é mesmo? 

O NPS é uma das métricas mais populares e eficientes para mensurar a satisfação dos clientes e trazer insights valiosos para uma marca.

Mas, você pode se perguntar: medir o NPS realmente funciona? Esta pergunta pode ser respondida com um case de sucesso de um de nossos clientes mais queridos: a Anjo Tintas.

Eles começaram a medir o NPS em 2019 e dois anos após conseguiram crescer o resultado em 40 pontos. Quer saber o que eles fizeram? Então é só continuar acompanhando esta leitura. 

Quem é a Anjo Tintas?

Capa Anjo Tintas

A Anjo Tintas é uma empresa que surgiu em 1986 em Santa Catarina, e fabrica tintas para diversos segmentos (automotivo, imobiliário, solventes, entre outros).

O lema da empresa é “fazer com excelência”, superar as expectativas dos clientes e oferecer relacionamentos e produtos duráveis.  Pensando nisso, a empresa decidiu investir no NPS e mensurar a satisfação dos seus clientes, e para isso contou com a ajuda da Track.

A ideia surgiu logo após o CEO da Anjo, Filipe Colombo, participar do evento “G4.0 CEO Edition” realizado pelo Gestão 4.0, empresa de imersão e mentoria para líderes de negócios. 

Foi após este evento que o Filipe percebeu que deveria voltar a dar atenção para um ponto que a empresa já se preocupou antes; o foco na satisfação do cliente. Olha o comentário que ele enviou para o pessoal do Gestão 4.0:

“Oi pessoal, gostaria de compartilhar uma coisa com vocês aqui…

Começamos a medir o NPS da Anjo Tintas em Dezembro de 2019, um mês depois de fazer o G4.0 CEO Edition. Iniciamos com 43 pontos… foi decepcionante para mim como CEO. Minha percepção é que era muito maior. De lá pra cá, fomos medindo, identificando problemas na operação e melhorando.

Hoje, abri o sistema da Track e nosso NPS de abril está em 83. Melhoramos muito nesse período e foi o G4.0 que me abriu os olhos para essa métrica que está fazendo muita diferença no nosso negócio.

Voltamos a ter foco no cliente como deve ser!

Gratidão é o sentimento. Obrigado.”

E se você ficou curioso sobre esse caso da Anjo Tintas, é só continuar a leitura para conferir a entrevista que fizemos com eles. Vamos lá?

A Anjo Tintas foi fundada em 1986 pelo Beto Colombo. De lá para cá, como vocês avaliam a mudança da empresa em relação à experiência do cliente?

Na realidade, a empresa sempre teve essa preocupação com a experiência do cliente e em criar um relacionamento de longo prazo com eles.

No entanto, o que aconteceu é que ao longo dos anos conforme a empresa foi crescendo—e como a gente cresceu muito— tivemos que criar algumas regras e ferramentas de compliance que acabaram engessando muitas partes e processos da Anjo, e isto fez com que deixássemos um pouco de lado a experiência do cliente.

Assim, diante deste crescimento a Anjo se tornou um pouco mais burocrática e o foco que tínhamos em CX foi se perdendo ao longo dos anos.

Então, quando implantamos o NPS, começamos a medir isto novamente e colocar esta ideia na cabeça de todas as pessoas (colaboradores), pois conforme novos colaboradores chegam muitos processos vão se perdendo.

O NPS acabou resgatando um pouco da nossa essência, que era de se preocupar com a experiência do cliente.

A Anjo Tintas começou a medir o NPS da marca em 2019 após o G 4.0 CEO Edition. Como foi esse processo?

Depois da imersão que eu fiz no curso do Gestão G 4.0, que foi em novembro de 2019, já começamos a rodar o primeiro teste com a Track, em dezembro do mesmo ano.  Logo depois, em janeiro de 2020, implantamos definitivamente.

E para que as pessoas pudessem entender e enraizassem esta mentalidade voltada para a experiência do cliente, colocamos o NPS como meta indicador do nosso PPR (programa de participação nos resultados).

Todo mês nós divulgamos o resultado do NPS para todos os nossos profissionais, além dos planos de ação que temos que fazer para melhorar o resultado.

Quais mudanças vocês começaram a perceber ao iniciar a pesquisa de NPS?

O nosso foco sempre foi muito forte no atendimento ao cliente, a nossa veia sempre foi comercial e ela veio se perdendo ao longo dos anos.

A importância do NPS na nossa empresa está sendo um divisor de águas, porque as pessoas voltaram a ter foco na experiência do cliente. Conseguimos ser mais cirúrgicos em nossos planos de ação.

Antigamente nós tínhamos uma pesquisa de satisfação que rodávamos a cada dois anos, e com o NPS a gente entendeu que o mercado é muito mais dinâmico e conseguimos corrigir a rota com maior frequência, evitando assim que saíssemos muito da nossa trilha.

Dois anos é um prazo muito longo, e a gente precisa estar mensalmente mensurando os resultados e melhorando pontualmente a experiência de cada um dos nossos clientes, ao invés de tratar a questão de maneira genérica

Hoje conseguimos mensurar de forma individual e pontual a jornada de cada cliente e setor da empresa.

Começamos a ver o resultado na prática. Ao resolvermos o problema de um cliente, por exemplo, ele não irá reclamar mais daquela mesma situação. Deste modo, aos poucos a nossa nota do NPS foi melhorando simultaneamente com a melhora da relação com nossos consumidores.

Qual foi a importância da Gestão 4.0 para a Anjo Tintas e para fomentar o cenário de Experiência do Cliente no país?

A imersão resgatou muito da nossa essência que era focada na experiência do cliente, ajudou a fomentar essa mentalidade de CX e mostrar estratégias voltadas para o cliente.

O NPS era uma métrica que eu não conhecia, e que me foi apresentada pelo pessoal do Gestão 4.0. Então, para mim foi um começo, e o que foi muito legal é que é uma metodologia muito simples, prática e rápida de ser aplicada, né?

Quanto mais empresas demonstram boas práticas em gestão da Experiência do Cliente, mais o mercado fica competitivo. Você acredita que uma empresa pode influenciar positivamente outra neste aspecto?

Sim, hoje os consumidores não te comparam apenas aos seus concorrentes diretos, e sim com o mercado todo. Deste modo, conforme vai aumentando o número de empresas que aplicam o NPS e melhoram a experiência do cliente, o mercado todo tem que elevar essa régua.

Como fomos influenciados pelo Gestão 4.0 também influenciamos várias empresas e vários clientes da Anjo a usar a métrica.

Agora falando especificamente de NPS, a Anjo teve um crescimento incrível. Como vocês conseguiram sair de um NPS de 43 pontos em 2019, e atingir 83 pontos dois anos depois? Quais as estratégias a marca adotou?

Como dissemos, ao começar a medir o NPS, a gente conseguiu ser muito cirúrgico na identificação dos problemas e principalmente na tomada de decisão. 

Então, o que aconteceu; nós identificamos vários pontos falhos na empresa e começamos a atribuir responsabilidade para diversos colaboradores, deste modo não havia apenas uma pessoa responsável pelo NPS, mas sim toda a empresa estava incubida de melhorar estes resultados.

Um exemplo de um case bem simples que foi identificado e resolvido graças ao NPS é do nosso prazo de entrega. Ele estava adequado como um todo, mas identificamos que tínhamos um problema específico no interior de Minas Gerais. 

Deste modo, fomos lá e resolvemos aquele problema. Assim, todos os clientes daquela região acabaram sendo beneficiados por um cliente que reclamou de uma situação específica.

Outro exemplo é que alguns clientes—cerca de dez—citaram que não tínhamos uma política comercial definida. A gente estranhou, pois nossa política é bem clara e objetiva.

Por isso, fomos conversar com estes clientes, que nos disseram que nunca haviam sido apresentados à tal política comercial. 

Para solucionar, nós reforçamos com o nosso time comercial a necessidade de apresentar esta política e também a cadastramos no portal de vendas do cliente para que fosse mais fácil acessá-la.

Com algumas ações simples tornamos a empresa muito mais transparente e muito mais clara na forma de comunicar.  Esses são dois exemplos simples que aconteceram e que ajudaram a melhorar o nosso NPS.

Sabemos que o NPS é uma excelente métrica para mensurar a satisfação dos clientes. Mas, a métrica também pode ser usada para medir a satisfação interna—ou seja, dos funcionários. A Anjo faz o acompanhamento do eNPS? 

Sim, nós medimos o eNPS a cada seis meses. 

E ao medir vocês conseguiram obter insights que ajudaram a melhorar a empresa?

Sim. Começamos a identificar alguns pontos que os próprios profissionais reclamavam. Por exemplo, uma das reclamações foi o nosso plano de carreira.

Tinham várias pessoas que não conheciam ou não entendiam o nosso plano de carreira, e para consertar isso nós contratamos um consultor, deixamos este plano muito mais claro e simples para que todos pudessem compreender o que eles precisam fazer para evoluir dentro da empresa. 

Para finalizar, quais as dicas que você, como gestor, daria para uma empresa que ainda não mensura a experiência dos clientes?

Foque em Customer Experience, e pense a melhor forma de melhorar a experiência do seu público. Cada cliente é único e tem as suas necessidades específicas.

O mercado mudou muito ao longo dos anos. Antigamente a gente adquiria um produto para depois ter uma experiência e ter uma opinião sobre ele. Hoje essa lógica se inverteu.

Hoje antes de comprar qualquer produto, o consumidor vai atrás da opinião de outras pessoas, para depois definir se ele vai querer comprar ou não, então há uma necessidade muito grande de se importar com a experiência do cliente.

No nosso mercado, antigamente um cliente que comprava tinta da Anjo comparava com a experiência que ele tinha na compra de uma tinta de um concorrente direto, como Suvinil, Sherwin-Williams ou Tintas Coral, hoje não existe mais isso. 

Agora o cliente que compra tinta está comparando esta com a experiência de comprar um aparelho de celular, com a experiência de comprar um carro, por exemplo. Então, as pessoas estão muito mais críticas.

Essas pessoas começaram a perceber que elas podem ter uma boa experiência independente do tipo de produto ou serviço que ela esteja contratando.

Faça como a Anjo e melhore seus resultados

A Anjo Tintas melhorou seus resultados em pouco tempo ao começar a mensurar o NPS de seus clientes e colaboradores. A métrica é de fácil aplicação e traz insights valiosos para as empresas.

Mas você sabia que além do NPS, existem outras métricas que podem te ajudar—e muito—a medir a satisfação dos seus colaboradores? Conheça elas aqui!

Gostou desta entrevista? Então, conte para a gente nos comentários.  E se ficou curioso sobre a imersão do Gestão 4.0, basta acessar aqui e conferir tudo sobre a empresa.

Ah, fique de olho no nosso blog e nas redes sociais (Instagram, LinkedIn e Facebook) e descubra como a Track também pode ajudar a sua empresa.

vamos conversar? hello@track.co

Tudo sobre Experiência do Consumidor, métricas, pesquisa de satisfação e sobre as tecnologias mais inovadoras de CX.




    Artigos relacionados

    Entrevista: reflexões do uso do NPS no setor…

    17 de junho 2021 Cases de Sucesso

    Mundo Capas utiliza Tracksale e consegue evoluir seu…

    17 de junho 2021 Cases de Sucesso

    Gestores de Net Promoter Score: VivaReal

    17 de junho 2021 Cases de Sucesso